La Grande Dame 2004

 

O revestimento é luminoso, de um dourado cintilante, com reflexos de âmbar.
A efervescência é abundante. As bolhas finas, leves, desdobram-se em arabescos, com graça e indolência.
O primeiro nariz revela uma trama mineral afirmada, um frutado de grande nobreza (pêssego branco, bergamota) e uma intensidade notável.
Ao agitar, o bouquet torna-se delicioso e voluptuoso, com notas de brioche, de nogado, de damasco, de baunilha, de frangipana e de jasmim.

Na boca, há muita textura, matéria. A textura é crocante e sedosa. A mineralidade orgânica ressoa majestosamente com esta estrutura carnuda e amplia a persistência do comprimento. O duo Verzenay/Avize (as duas colheitas dominantes desta assemblage, entre as 8 grandes colheitas) adquire toda a sua dimensão. O final é fresco e generoso, deixando adivinhar uma dosagem discreta que não perturba o equilíbrio natural do vinho.

La Grande Dame 2004 Rosé

O revestimento é luminoso, de um dourado cintilante, com reflexos de âmbar.
A efervescência é abundante. As bolhas finas, leves, desdobram-se em arabescos, com graça e indolência.
O primeiro nariz revela uma trama mineral afirmada, um frutado de grande nobreza (pêssego branco, groselha, framboesa, mirtilos) e uma intensidade notável.
Ao agitar, o bouquet torna-se delicioso e voluptuoso, com notas de brioche, de nogado, de canela, de ginja-garrafal.
Na boca, há muita textura, matéria. A textura é crocante e sedosa. A mineralidade orgânica ressoa brilhantemente com esta estrutura carnuda e amplia a persistência do comprimento.
O vinho tinto de Bouzy (parcela Clos Colin) confere-lhe uma base majestosa, um potencial de envelhecimento para a próxima geração.
O final é fresco e generoso, deixando adivinhar uma dosagem discreta que não perturba o equilíbrio natural do vinho.

 

 

 

 

97 pts

winepress.com.au - Abril 2012

Brut Grande Dame 2004. « [...] E este vinho cumpre as suas promessas. Meu Deus, e de que maneira! Os grandes conhecedores do La Grande Dame lembrar-se-ão com ternura da estrutura complexa do 1998. Mais jovem seis anos, o 2004 é incrivelmente puro e fresco. Distingue-se principalmente pela sua mineralidade, pela profundidade das suas notas de calcário, que submergem tudo à sua passagem. O seu carácter frutado, absolutamente requintado, cheio de energia e extraordinariamente persistente, alia frutos vermelhos, raspas de limão e de toranja, com uma pitada de mistura de especiarias e pão torrado. [...] »

98 pts

Gilbert & Gaillard - Abril 2012

Brut Grande Dame 2004. « Robe dourado claro. Nariz fino, notas de frutos frescos, frutos de caroço, discretos toques de brioche. A boca seduz pela sua amplitude, o seu carácter avinhado contido transportado por uma frescura leve, a sua persistência que ganha em complexidade a cada segundo. »

98 pts

Sydney Morning Herald - Maio 2012

Brut Grande Dame 2004. « Um vinho mágico, requintado e elegante, de aromas vivos de citrinos e de pinot em tons de carvão/brioche, com uma ponta de cogumelo, até de Vegemite, espécie de Cénovis australiano. Um paladar rico e intenso, de sabores profundos e potentes. O final, longo e sustentado, revela grande harmonia. Para saborear desde agora, conserva-se seis anos. »

94 pts

Wine enthusiast - Setembro 2012

Brut Grande Dame 2004. « Eis um champanhe rico e cremoso, de efervescência crepitante e marcado carácter frutado. Lentamente, a profundidade e a concentração do vinho impõem-se, com um sabor de frutos brancos e uma nota de toranja e de brioche. Outras tantas promessas que auguram um bom envelhecimento. »

94 pts

Wine spectator - Outubro 2012

Brut Grande Dame 2004. « Muito elegante. Está tudo nos detalhes: uma textura precisa e sedosa, uma acidez apetitosa e uma tonalidade mineral de fumo que enriquece os sabores de pastelaria com pera, mel cristalizado, kumquat e amêndoas torradas. Um final limpo e fresco, corado de citrinos. Para saborear desde agora até 2027. »

19/20

Bettane & Desseauve - Novembro 2012

Brut Grande Dame 2004. « Num estilo mais consensual do que o Vintage, mas de classe espetacular, este vintage fará história: grande volume leve, elegância soberba, prolongamento inesquecível. A arte maior. »

93 pts

Wine enthusiast - Setembro 2012

Rosé Grande Dame 2004. « Um lado de brioche que completa maravilhosamente as notas de frutos vermelhos maduros, de limão aliciante e de brioche. Bem orientado no caminho da maturidade, conserva um carácter frutado, enquanto que os seus sabores começam a assumir amplitude e a aprofundar-se. »

96 pts

Grandi Champagne 2012 - Outubro 2012

Rosé Grande Dame 2004. « Um robe de ouro rosa. Um nariz característico para um rosé que se conta entre os melhores, aqueles cujo amplexo nada tem de afetado, embora seduza pela profusão de sabores frutados (frutos de caroço, entre os quais nêspera, pêssego, cereja...). Pelo contrário, este vinho é tão denso que parece quase fechado sobre si mesmo e demora um certo tempo a revelar a sua base mineral. Daí esta impressão na degustação: o vinho começa por parecer inexpressivo, mas ao primeiro golo, abre-se como um estuário, primeiro gordo, depois muito frutado e, por fim, mineral, tudo com uma ponta de acidez. O final exala uma nota quase infinita de sal de montanha, apesar de um redondo frutado tenaz que se mantém agarrado ao palato com uma certa obstinação. [...] »