Cave Privée 1990

Este vinho reveste-se de um robe de cor dourada muito intensa, próxima do bronze; a efervescência é fina e persistente. O nariz impressiona pela sua intensidade e a sua grande riqueza. Desde os primeiros instantes, revela a sua imensa complexidade. Os aromas frutados dominam, em dois registos diferentes: frutos confitados, quase cozidos, e fragrâncias de citrinos. O arejamento revela notas de baunilha, sustentadas por matizes minerais. Na boca, o ataque muito franco dá rapidamente lugar à estrutura. Os aromas de licor e de citrinos confitados conferem ao vinho uma intensa frescura, com um final prolongado.

Cave Privée 1990 Rosé

A referência
O vintage 1990 é imponente. 1990 cumpriu todos os desejos de uma Adega Mestre simultaneamente com o vinho elaborado sob condições próximas à perfeição antes majestosamente maturado na adega. A cor atrai a nossa atenção, com a notável cor de cobre, tanto luminosa quanto sustentada. O olfato é uma explosão de aromas que vai em todas as direções! O fruto é pura indulgência com características de cereja e gengibre, seguido por fugaz de turfa e alcaçuz. O paladar é agradável com borbulhas delicadas que parecem ser mais suave do que efervescente. O comprimento aparece ser interminável, a força da Pinot Noir empresta um caráter avinhado amplo. A baixa dosagem vem em seu próprio acabamento prolongado.

Pinot Noir à la Clicquot
O Champagne Rosé tem um caráter enigmático muito específico: a mistura de vinhos tintos e brancos resulta em uma cor distinta, que evolui com o tempo e com o recipiente: garrafa magnum não dá exatamente os mesmos tons de cor como a garrafa 750ml. Esta não é a única diferença por tanto, o olfato é menos exuberante, picante e mais discreto ... O paladar é um arquétipo da textura Clicquot: generoso e amplo com um cenário de mineralidade. 15% de vinhos Bouzy vermelhos desempenham um papel importante, proporcionando substância e profundidade. Este vinho em sua garrafa magnum (1,5L) ainda é reservado, um adolescente que irá crescer e afirmar-se.

Cave Privée 1989 Blanc

Misterioso 1989
O vintage blan 1989 é surpreendente: este ano quente deu plenos, redondo, vinhos flexíveis. Nós re (descobrimos) este vinho com sua juventude e frescura inesperada assertiva no primeiro contato com o paladar. O vinho tem um imediatismo cheio de sabor, a estrutura básica do Pinot Noir da um gosto forte. Que presença, que comprimento! Gira-lo em uma taça arredondada, os nossos sentidos de alerta são infinitamente desafiados por aromas de frutas maduras, frutas secas e especiarias. Já podemos discernir algumas características discretas de açafrão, badiana, sândalo e eau de vie. Este grande vinho está muito longe de seu auge: já encorpado, ele discretamente revela a força que ele irá mostrar ao longo dos próximos 20 anos.

Caráter salgado e mineral
Todos abem que garrafas magnums são geralmente mais adequadas para o vinho do que as garrafas de 750ml : isso é realmente verdade? Neste caso, não há uma possível comparação e nós sentimos que há a presença de um outro vinho! O vinho foi rejuvenescido neste recipiente. É muito mais fresco, mais joven: características de clementina e damascos frescos (frequentemente associado com vinhos mais jovens) se destacam. Somos tentados a olhar para o rótulo para verificar o vintage ...! A existência do vinho em uma garrafa magnum desacelerou o seu desenvolvimento dando-lhe uma personalidade muito diferente para o vinho contido na garrafa, mais reservado e com um caráter mais salgado e mineral.

A mensagem na garrafa
Abrimos com mais frequencia garrafas de Jeroboam em momentos de celebração. É também uma oportunidade para compartilhar o mesmo vinho com um público mais amplo e por um tempo maior. Este formato suspende as certezas que nós tínhamos adquirido sobre os Champagnes: este vinho é cheio de contrastes. Este formato gigante leva o vinho de volta a uma fase primária de sua evolução: as características de levedura ainda estão presentes e o pronunciamento mineral. A composição do vintage 1989 é percepctível no fundo. Após longos minutos, a característica do vintage 1989 ganha base contra a do Jeroboam, sua assinatura aparece com profundidade e complexidade sem precedentes. Que sabor!

Cave Privée Rosé 1989

A cor é delicadamente rosada, a efervescência muito persistente e fina. O primeiro nariz, muito agradável, evoca um registo de torrefação moka e cacau... Estas notas evoluem para aromas mais complexos, com um fundo mineral típico dos vinhos tintos de Champagne. Na boca, os aromas de frutos amadeirados explodem, reforçando a impressão de estrutura e de frescura, enquanto que os aromas de citrinos e de figo confitados sublinham a acidez muito sedosa do vinho. O fim de boca é generoso, com um final muito macio em frutos secos. O Vintage 1989 Rosé em garrafa evoluirá favoravelmente durante mais de 15 anos.

Cave Privée 1982 Blanc

As multifacetas do champagne
Em dois anos consecutivos de pequenas colheitas, 1982 foi um ano particularmente abundante em Champagne. O clima de setembro foi excepcional, permitindo com que as uvas amadurececem com perfeição. A mistura para este vintage foi composta exclusivamente por Pinot Noir (2/3) e Chardonnay (1/3). A cor dourada, com reflexos âmbar, resultiu no tom: este é um vinho que irá revelar-se! A efervescência é leve, delicada, sutil e lentamente implantada. O olfato é muito rico em frutas secas, características de cacau, manteiga salgada de caramelo e frutas citras cristalizadas . O paladar é surpreendentemente jovem, a mineralidade enfatiza frescura do vinho, o acabamento termina com características de damasco seco e sândalo. Estamos impressionados com a capacidade do vinho de se adaptar a dar uma sensação de frescor para um aperitivo e profundidade de uma refeição!

Maturidade vem com o tempo
A garrafa de Cave Privée de Veuve Clicquot 1982 defini padrões muito elevados: o que devemos esperar, portanto, do mesmo vinho em uma garrafa magnum? Será que a função equação da mesma maneira com um vinho mais maduro? A resposta é sim e não. Sim, como a garrafa magnum é cheia de frescura e seu potencial de envelhecimento parece ter dificilmente começado: dizemos a nós mesmos que poderíamos ter guardado este vinho por mais dez anos ou até mesmo possivelmente mais se pudéssemos ter sucesso em esquecê-lo. Não, como com o tempo as diferenças entre garrafa e magnum diminuem um pouco, na medida em que não são mais realmente considerados dois vinhos diferentes. A semelhança entre os dois recipientes é mais a fragância do que para um vinho mais jovem: é mais uma questão de tonalidade ou pequenas contrastes do que das diferenças. As características de frutas maduras e torradas permanecem predominantes. É principalmente no paladar que a magnum se diferencia, com acidez delicada e carcaterísticas florais. A baixa dosagem, provavelmente, contribui para esse fenômeno, gerando uma aproximação entre os dois formatos.

Cave Privée 1980

Este vinho apresenta um robe de cor patine dourada. A efervescência, discreta, está presente. O nariz, de grande maturidade, é extraordinariamente complexo. Revelam-se gradualmente notas frutadas de compota (tangerina), um toque vegetal (tabaco escuro), aromas amadeirados (cedro) e uma trama apimentada em filigrana. O equilíbrio na boca é ideal, com um ataque franco e um sabor adoçado de pâtisseries, que se desdobra num longo final. Dotado de grande potencial de conservação, o Vintage 1980 em garrafa evoluirá favoravelmente durante mais de seis anos.

Cave Privée 1979 Rosé

Para outras ocasiões
Esta garrafa da CavePrivée Rosé 1979 nos leva à 34 anos atrás, para os anos 1970, uma década que não produziu muitos anos do vintage capazes de um longo envelhecimento. O ano de 1979 é uma exceção que confirma essa regra de uma colheita um pouco tarde e uvas, que tiveram tempo para amadurecer. A cor de hoje é quente e profunda (a mistura contém 19% de vinhos Bouzy vermelhas), com reflexos de cobre. O olfato é inebriante, com caractrísticas de açafrão, curry, couro, frutas escuras e uma pitada de eau de vie. Um jovem paladar: somos surpreendidos pela sua frescura que realça o caráter fisiológico do nosso calcário terroir . O rico acabamento tem uma textura que nos aceita para o mundo dos grandes Pinot Noirs. As borbuhas são discretas: para este grande efervescente vinho é apenas secundário.

O tempo parou
Esta garrafa magnum é uma revelação, um chamado na questão. O Pinot Noir adota aqui uma sutileza e elegância que imaginávamos que só poderia ser possível em ótimos terroirs da Borgonha. O equilíbrio entre a textura e a frescura do vinho espumante é único: esta juventude é quase insolente. O primeiro olfato ainda está reservado: a plenitude surge somente depois de meia hora. No paladar, a harmonia entre corpo inteiro e mineralidade é cativante. Os vinhos tintos de Bouzy produzem forte estrutura e um acabamento impressionantemente longo, dando uma sensação estranha de ambos conclusão e início. O potencial de guarda ainda parece praticamente intacto!

Cave Privée Rosé 1978

A cor salmonada é bela e sustentada, a efervescência fina e ainda abundante. O nariz, potente e complexo, evoca a floresta, em fundo de mineralidade. A boca é de uma incrível frescura para um vinho de terço de século. No retro-olfato, aromas de feno, de couro e mesmo de especiarias orientais vêm completar a sua complexidade olfativa. Este venerável vinho demonstra uma notável estrutura. Graças ao seu potencial de envelhecimento elevado, o Vintage 1978 Rose em garrafa evoluirá favoravelmente durante mais de 6 anos.

Cave Privée Rosé 1975

De cor bem sustentada, com tonalidades rosa alaranjado, sugere uma bela evolução. A efervescência é fina, o nariz bem aberto, num registo muito frutado. As notas de frutos maduros, ameixa e cereja dominam, para darem depois lugar a aromas mais apimentados. A percentagem elevada de Bouzy tinto encontra-se na boca: a trama é fechada, a estrutura bem presente e o final ligeiramente tânico. O Vintage 1975 Rose em garrafa grande evoluirá favoravelmente durante mais de 10 anos.

97 pts

Wine enthusiast - Outubro 2012

Cave privée 1990. «Este vinho caloroso, extraordinariamente envelhecido, faz parte de uma série de champanhes velhos nas caves da Maison. Emerge do copo com sabores complexos de amêndoa, de brioche, de citrinos e uma nota metálica de aço. A riqueza majestosa deste vinho justifica plenamente as suas décadas de maturação.»

94 pts

Wine spectator - Outubro 2012

Cave privée 1990. «Os sabores ricos e os aromas de pão duro e de melaço misturam-se a notas de pêssego assado, biscuit, gengibre moído, flor de sal e raspa de laranja confitada. Este vinho elegante, admiravelmente equilibrado, de perlado subtil, exala uma frescura delicada mas tenaz.»

95 pts

Wine spectator - Outubro 2012

Cave privée Rosé 1989. «Rico e cremoso, um champanhe que envelhece com graça. A sua acidez absolutamente delicada e a sua textura ligeiramente perlada constituem um estojo elegante para acolher sabores de licor de café, amêndoas torradas, bombom de cereja, iodo e casca de laranja. O final, longo, reveste-se de subtis notas minerais de fumo. Decantação em Outubro 2008. Para saborear desde agora até 2022.»