A arte dos vinhedos

Na Veuve Clicquot, a vinha, verdadeira alma mater, é objeto de todas as atenções. Com o passar das estações, ela recebe os cuidados necessários ao seu pleno desenvolvimento e revela assim o melhor de si mesma: uvas de qualidade exepcional.

Descubra a
We Are Clicquot

Confira a incrível série de retratos humanos "We Are Clicquot": viticultores, equipes de produção, enólogos, entre outros, falam sobre sua profissão, savoir-faire, vida diária e partilham conosco sua paixão pela fabricação do champanhe Veuve Clicquot.

Episódio # 1: Christophe, Viticultor

We Are Clicquot

Episódio # 1: Christophe, Viticultor

Christophe Simon tem trabalhado em nossos vinhedos por quase 25 anos. Como o filho de funcionários da Maison Veuve Clicquot, sua paixão por champagne tem origem em sua própria herança familiar. O clima é muitas vezes a parte mais arriscada da produção de champagne, mas com uma boa colheita, é também a mais gratificante. Uma garrafa de Veuve Clicquot simboliza o belo fruto do trabalho de um ano. Descubra a história de Christophe Simon.

Episódio #2: Marie-Pascale, Rotulagem Manual

We Are Clicquot

Episódio #2: Marie-Pascale, Rotulagem Manual

Marie-Pascale nasceu e cresceu na região de Champagne, assim como seus pais. Ela trabalha na oficina especializada de rotulagem de garrafas, meticulosamente vestindo as garrafas mais ilustres da Maison - muitas vezes manualmente. Este trabalho é uma verdadeira forma de arte que pode empregar couro, ouro banhado, ou outros materiais haute gamme. A primeira coisa que você percebe no champagne é a sua garrafa - por isso ela deve ser perfeita - representando a qualidade de Veuve Clicquot. Descubra a história de Marie-Pascale.

Episódio #3 : Philippe, Enólogo

We Are Clicquot

Episódio #3 : Philippe, Enólogo

Philippe tem sido o nosso enólogo-chefe desde 1985, supervisionando os assemblages de vinhos da Maison. Vinificação é a sua paixão, e a sua equipe está sempre se esforçando para melhorar, enquanto mantém a qualidade consistentemente. Há dias em que eles degustam até cinqüenta vinhos diferentes, a fim de definir o estilo Clicquot; este estilo é a identidade da Maison, passada de colheita para colheita, de uma geração para a outra. Descubra a história de Philippe.

Episódio #4: Christian Renard, Diretor de Vinhedos

We Are Clicquot

Episódio #4: Christian Renard, Diretor de Vinhedos

Christian Renard tem administrado os vinhedos desde 1982, uma responsabilidade que não é nada rotineira. Entre a imprevisibilidade do tempo, da evolução das videiras, da simples organização de uma grande equipe, só uma coisa é certa: cada ano é diferente. E assim ele está constantemente ajustando e adaptando a evolução da vinificação da Maison Veuve Clicquot, ao mesmo tempo em que mantém uma tradição secular. Descubra a estória de Christian.

Episódio #5: Vindimadores

We Are Clicquot

Episódio #5: Vindimadores

Vindos de todas as regiões francesas e idades, os colhedores de uvas da Veuve Clicquot são o coração fundamental da colheita. Logo no início destas manhãs de outono, os vindimadores começam a colher, transportar e carregar inúmeros caixas de uvas - um trabalho físico e exigente que eventualmente leva a uma deliciosa recompensa. Trabalhando em equipe, eles formam laços e lembranças fortes, pois gostam de trabalhar uns com os outros, tanto quanto com a terra. Descubra a estória dos vindimadores.

Episódio #6 : Christophe Pannetier, Chef do Hôtel du Marc, a Mansão Privada da Maison Veuve Clicquot

We Are Clicquot

Episódio #6 : Christophe Pannetier, Chef do Hôtel du Marc, a Mansão Privada da Maison Veuve Clicquot

Christophe Pannetier é o Chef de cuisine do Hôtel du Marc, proporcionando experiências gastronômicas aos hóspedes da mansão privada da Maison Veuve Clicquot, que vêm de todo o mundo. Um inovador, Christophe muitas vezes trabalha em conjunto com os nossos enólogos, em uma missão para descobrir novas harmonizações para os vinhos Veuve Clicquot, criando novos sabores para os nossos clientes saborear. Descubra a história de Christophe.

Inscrever-se para o nosso canal no Youtube

Diário de colheita

Segunda-feira, 07 de setembro, 2015
 
E assim começa hoje a grande colheita na Maison Veuve Clicquot. Estamos começando alguns dias mais cedo do que no ano passado. E enquanto o ano passado foi úmido, este ano foi seco. Na verdade, 2015 é o ano de vinificação mais seco e quente registrado para a região de Champagne - desde quando tais registros têm sido mantidos. Felizmente, em meados de agosto, e em seguida no final do mês, as chuvas vieram para oferecer água e alívio para as vinhas, incentivando as uvas a crescer mais. Mas hoje o dia é seco e fresco, com apenas 7° C ao amanhecer. Nossa colheita de uvas começa este ano nos vinhedos de Ay. Este terreno é colhido principalmente por equipes locais - de colhedores de que são oriundos da própria região de Champagne - ou aqueles que vêm para ficar com os amigos durante a colheita. Outros vêm em trailers, e os estacionam em um de nossos dois terrenos designados na propriedade da Veuve Clicquot, onde eles têm acesso à eletricidade, banheiros e chuveiros. Estas equipas são constituídas por 9 pessoas: 8 colhedores, e aquele que transporta as caixas cheias de uvas com um carrinho de mão. Nossa fiel equipe de Ay é perfeitamente pontual no sábado, 29 de agosto, aderindo ao "plano de batalha" que nós tínhamos previamente estabelecido.
Começamos com os vários processos administrativos - verificando documentos, registrando os novos trabalhadores, assinando contratos de trabalho - em seguida temos a sessão de treino e transmitimos as várias instruções que estes trabalhadores precisarão. Este ano, o presente de boas vindas é um chapéu novo, mas um modelo diferente do ano passado, e este tem "Veuve Clicquot Vendages 2015" bordado nele. Muitos dos colhedores estão orgulhosos de seu novo chapéu e os colocam imediatamente. Outros os colocam mais tarde - a fim de não sujá-los - planejando usá-los no final da safra, quando voltarem para suas casas.
Todos as colhedores estão impacientes para o primeiro corte com as tesouras de poda, e, finalmente chegamos a ele por volta das 08:30. Amanhã eles vão nos encontrar diretamente nos vinhedos, para iniciar a coleta de uvas, até mais cedo. As primeiras uvas Pinot Noir a serem colhidas são magníficas, perfeitamente maduras e totalmente saudáveis.
É sob um céu cinza, no meio da tarde, que as nossas primeiras equipes "hóspedes" chegam - os trabalhadores para os quais vamos oferecer habitação durante a colheita.
Quatro equipes da província do Norte chegam aos vinhedos de Côte des Blancs. Estes colhedores são liderados por um chefe da equipe para garantir o seu sucesso. Eles foram organizados em grupos de 7 trabalhadores, dos quais 4 são carregadores - nomeados assim pois eles vão puxar carrinhos de mão com os caixotes cheios de uvas, no final de cada faixa de vinhedo.
Em Mesnil, os colhedores são apresentados às suas camas novas, pois este ano também passamos por algumas reformas - incluindo 700 novas camas para os nossos trabalhadores hóspedes. Os colhedores de Mesnil do ano passado, bem como os de Avize, parecem apreciar as melhorias acústicas que nós instalamos na cantina; podemos ouvir um ao outro muito melhor durante as refeições.
Duas equipes que ficarão em Pargny lès Reims também acabam de chegar. Nossas equipe de Amiens e de Lorraine viverão juntas, como eles costumam fazer. É a primeira vez na minha carreira que eu estou vendo as Meuniers (uvas de champagne) da Montanha do Oeste começarem a colheita tão cedo como neste ano - tão cedo quanto as uvas Chardonnay e as la Côte des Blancs!
 
 

Do vinheido ao vinho

O Inverno corresponde à estação da poda, pacientemente efetuada planta a planta, à mão, e que se prolonga até ao final de Março. Depois vem a ligação: os sarmentos e as armações conservados na poda são ligados a um suporte para garantir a sua manutenção. No mês de Maio, eliminam-se os rebentos que trazem pouca ou nenhuma uva: é o esladroamento. Ao longo de toda a Primavera, o vinhedo é protegido, se necessário e de forma ponderada, contra doenças e insetos. Quando se dá a floração, por volta do dia 20 de Junho, contam-se 100 dias até à vindima. Enquanto se aguarda esta etapa decisiva, os pequenos ramos são elevados verticalmente e dispostos em latadas, quer dizer, ligados a um suporte, e os rebentos em crescimento são aparados para garantir uma boa atividade fotossintética.

Todas as etapas

Respeitar o ambiente : um compromisso enraizado na nossa história

 

Garantia do lema da Maison “Apenas uma qualidade, a melhor”, o respeito pela terra é a nossa herança e permanece no centro da nossa atividade. Compartilhamos este lema como um valor essencial com os nossos parceiros e com os nossos clientes. Ele dita as iniciativas tomadas em prol do ambiente, através de cinco grandes compromissos :

  • Controlar os riscos ambientais
  • Reduzir o impacto ambiental associado à nossa atividade
  • Seguir uma política responsável tendo em vista a melhoria das as nossas ações
  • Levar todos os colaboradores e parceiros a participarem na nossa iniciativa de proteção do ambiente
  • Partilhar as nossas exigências e os nossos valores ambientais

Saiba mais sobre os nossos compromissos